Alemanha, Do cotidiano, Heidelberg

Puxão de orelha

Aqui na Alemanha, como em muitos outros paises da Europa, colocando os pés na faixa de pedrestes, os carros páram. Então, a gente pisa na fé, porque é mais fácil um meteoro cair na nossa cabeça, do que morrermos atropelados atravessando a rua na faixa de pedestre.

Interessante também, é o fato de, em muitos semáforos para pedestres, ter uma placa pedindo para que sejamos exemplo para as crianças, e só atravessarmos quando o sinal estiver verde.

O João, uma vez, na pressa de pegar o ônibus, atravessou o semáforo no vermelho. Por azar, duas crianças estavam do outro lado da faixa. Por azar ainda maior, um policial também. Ele não foi multado, mas recebeu um sermão.

Receber sermão de um policial que viu a cena é até esperado. Afinal, ele cumpria com sua obrigação. Mas não é só os home que dão sermão por aqui. Não mesmo!

Tudo isso para dizer que estávamos eu e Tomás voltando do supermercado outo dia, e o carrinho dele estava cheio de compras; embaixo seis garrafas grandes de água, batata, tomate…. mais algumas sacolas. O carrinho estava pesando à beça, eu estava cansada, estava frio e começava a chover e a ventar muito. Resolvi encurtar o caminho e atravessar em um lugar não ortodoxo. Um senhor do outro lado da rua não perdoou. Veio até mim (para isso ele também precisou atravessar fora da faixa, há!) e me disse:

Senhorzinho alemão: Você não deveria se arriscar tanto. Ainda mais com um carrinho de bebê.

Mama radical (eu): Eh, eu sei. Mas é que eu estou com pressa.

Senhorzinho alemão: Mas tem um semáforo a 10 metros daqui ( precisão insuportável alemã). Sua economia de tempo não vale à pena pelo risco que corre (pragmatismo insuportável alemão).

Mama radical (eu): Eh, o senhor tem razão.

E dei meia volta com o rabinho entre as pernas, e fui atravessar na faixa, em segurança. Mas sabe que o senhorzinho tinha razão! Com segurança não se brinca mesmo! Foi o melhor e o mais justo puxão de orelha dos últimos tempos!

Imagem retirada daqui.

Anúncios

2 thoughts on “Puxão de orelha”

  1. Gabriela estou adorando seus posts. Realmente eles são assim… fazem cara feia, quando não falam assim como o senhor.
    Um respeito as normas e regras que é impressionante. Mas o ponto positivo é que apesar de ser assim, as coisas funcionam. Né? rs rs rs
    Adorei seus últimos comentários no meu blog. Adorei saber o nome que gosta e que teria colocado no seu filho, se o seu marido tivesse concordado rs rs rs Mas Tomás é lindo! Adoro!
    Beijos

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s