Alemanha, Do cotidiano, dormir pra quê?, Heidelberg, mãe zen, mães não são de ferro, sonhos, sono dói

Questão de ponto de vista

O João , meu marido, sempre tem umas estorinhas chinesas, persas ou indianas na manga, estorinhas essas cheias de sabedoria de vida. Então que ele uma vez me contou uma estorinha, que diz a lenda, passou-se na Índia. A estória é sobre um homem que foi procurar um guru muito respeitado na região , pois estava enjuriado pelo fato da sogra, do sogro e dos cunhados estarem morando com ele, e não darem provas que iriam embora. Justo ele que já tinha mulher e filhos (não me lembro mais quantos), todos numa casa muito pequena.

Daí que como todo guru, o guru da estória ouviu o homem muito pacientemente, respeitando todas as entonações e arroubos emocionais. No fim, ele aconselhou o pobre homem a levar uma vaca para dentro de casa. Uma vaca? perguntou o já f…. homem. Sim, uma vaca. Mas que parte o senhor não entendeu que eu não tenho espaco na minnha casa? O sábio, mais uma vez, nem se abalou, e entregou a vaca para o homem.

Bom, como sabemos, a vaca na Índia é um animal sagrado. Então o lascado homem levou a vaca para dentro de sua pequena e já povoada casa. E voltou depois de um mês para falar com o guru, uma vez que as consultas com o mesmo só aconteciam uma vez por mês. Emputecido da vida. Minha vida está um inferno! A minha casa fede, tem moscas e eu que já não tinha espaço! O guru mais uma vez ouviu o homem sem demosntrar nenhum sinal de espanto ou admiração . No fim, o homem pergunta o que ele o aconselha desta vez. O filho da puta do guru o aconselha a levar mais uma vaca. O pobre homem nem teve forças para questionar. E dessa vez saiu cabisbaixo e conformado. Com a segunda vaca.

No mês seguinte ele volta desesperado. O sábio disse então que ele poderia devolver uma vaca. E assim ele fez. Alguns dias depois de ter tirado uma das vacas, ele voltou para agradecer, e dizer ao guru que estava muito aliviado, que ter tirado uma vaca de casa foi a melhor coisa do mundo! Que a questão do espaço na casa tinha melhorado muito! Ele nem se lembrava mais da família folgada , e muito menos da outra vaca que ao que tudo indica, deve ter permanecido.

Eu já disse aqui mais de uma vez, que o Tomás não dorme. Faz treze meses, uma semana e cinco dias que eu não sei mais o que é dormir uma noite inteira. Quando Tomás dorme quatro horas seguidas, nós levantamos as mãos para o céu e juramos subir as escadas da Penha de joelhos. Durante o dia, também é uma dificuldade esse menino dormir. Há dias em que ele dorme minutos, mas pra ele parece ser horas, tamanha disposição com que acorda.

A gente reclama? Claro! Quem não quer dormir uma noite inteirinha depois que tem filho que atire a primeira pedra. E se você que me lê tem um filho que dorme a noite inteira desde que nasceu, nem se manifeste! Sou capaz de chorar litros. Acontece que o Tomás está resfriado. E tem duas noites que não sabemos mais o que é dormir uma hora seguida. Ele acorda, chorando, incomodado com o nariz entupido, chora porquê está com sono e não consegue dormir, e nós só não choramos junto porque temos que dar conta do recado.

E de dia não tem sido muito melhor. Ele fica grudado em mim, querendo colo, e só quer dormir grudado no meu cabelo. Enfim… Quando o João chega em casa, eu corro fazer o que ficou de afazeres domésticos para trás, enquando ele dá atenção para o Tomás. Ou seja, descansamos rachando lenha.

Eu só sei que antes do resfriado era paulera, mas a gente até que estava acostumado, sabe? E agora está tão, mas tão paulera que a gente sente saudade do que nem era assim uma brastemp. Eu só sei que eu quero apenas uma vaquinha fazendo cocô na minha sala! Onde eu devolvo a segunda vaca?

Imagem daqui.

Anúncios

13 thoughts on “Questão de ponto de vista”

  1. Ai, Gabi, devolve a vaca aqui em casa entao…

    Melhoras pro seu fofinho e nao se esqueca que tudo passa. Ate la a gente vai vivendo! Faz 7 anos que nao durmo uma noite inteira. E quando elas dormem eu acordo mesmo assim e se bobear, sempre na mesma hora. Filho sabe bem como educar os pais. hehe

    bjo
    dani

    Curtir

  2. Quando diziam que mãe nunca mais dorme… eu não acreditava, afinal minha mãe dorme. Tem o sono leve mas dorme.
    Dorme preocupada, mas dorme.
    Sophia só foi dormir a noite TODA com 8 ou 9 meses. E eu voltei a trabalhar quando ela não tinha completado nem 6 meses… É osso!
    Mas o que a gente não faz pelos filhos? TUDO.
    E depois de conseguir descansar num cochilo de 20 minutos achamos que dormimos uma eternidade. Muita calma nessa hora. Vacas dentro de casa é muito pior e tudo passa (apesar de nesse momento dizer que tudo passa parece clichê, é verdade acredite!)
    Bjos e forças sobrenaturais para a mãe e o pai aí!

    Curtir

  3. Gabi que difícil… Tem hora que bate o desespero mesmo. A gente quer descansar, dormir e os dias passam e tudo continua igual. Parece que é uma fase que não tem fim. Mas tem, acredite! Pode demorar.
    Felipe também deu muito trabalho e hoje com 4 anos e meio dorme bem, a noite inteira. Começou apenas a fazer isso quando tinha quase 4 anos. Já pensou? Um processo longo e demorado. Espero que não seja assim com vocês. Estou aqui torcendo!!!!
    Já com o Thomas foi diferente. Ele sempre dormiu maravilhosamente bem e agora com quase 2 anos começou a acordar a noite. Posso com isso? Grávida? Cansada! Barriguda, querendo dormir um pouco, já que sei que após o nascimento tudo ficará mais difícil…
    Mas vamos levando… dormindo quando dá a tarde, fazendo revezamentos de manhã com o marido (um dorme mais, o outro acorda e fica com os filhos) e, assim segue a vida!
    Boa descanso para vcs. Um grande beijo.

    Curtir

  4. Gabi voltei para falar dos selinhos. Na verdade, são selinhos que você coloca no blog, nos posts. Geralmente tem uma tarefa, algumas questões a serem respondidas. Nada demais! Muita gente não gosta! Quando recebo costumo postar, por consideração a pessoa que mandou… Mas também não sou fã 100%. Só indiquei você pois estou adorando ler seus posts, acompanhar sua trajetória. Mas não esquenta para postar, ok? rs
    Beijos querida e bom final de semana.

    Curtir

  5. Oi Celi! Nossa com 4 anos! E você teve outro bebê mesmo assim? Corajosa :-). Brincadeiras a parte, eu sei que cada crianca tem seu processo, uns mais longos, outros menos. O pior é que eu sinto que o do Tomás é dos longos. Mas vamos levando, no mesmo esquema que você falou: revezamento de pais.
    Grande beijo e obrigada pelo apoio!
    E a frica por aí? Por aqui tá um absurdo, credo!

    Curtir

  6. Gabriela, sabe que adoro essas histórias orientais? São tão cheias de significados. Muita boa a forma como vc relacionou os dois assuntos.

    Bom, tive um bebê insone, ou melhor, comparado com a minha primeira filha. E como era brabo! Torcendo pra que a segunda vaca se vá logo…

    Beijo

    Curtir

  7. Adorei a estorinha e a comparação. Minha filha também andou gripada, respirando ruin, tossindo e acordando e tempo todo. Eu a levava pra minha cama, ainda acordava o tempo todo, mas pelo menos não precisava me lenvantar. Logo essa segunda vaca vai embora.
    Beijos

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s