cartas ao tom, Tomás

Carta ao Tom # 3 – Do sentimento sem volta

Tomás,

Em um ano e meio de vida você já conquistou muitas coisas. Já conquistou o andar, e agora, cada dia mais, tem conquistado o falar. E pra lá de suas próprias conquistas, conquistou meu coração para sempre.

Como é gostoso compartilhar de suas conquistas, descobrir a cada dia que passa que você aprende mais, e que ao seu lado eu aprendo também.

Antes de ser a sua mãe, Tomás, eu acreditava que mãe ensinasse filho a ter esperança, que mãe ensinasse filho a ter paciência, que mãe ensinasse filho a descobrir o mundo.

Como sua mãe, eu te ensino muitas coisas, mas as que você tem me ensinado, eu as tenho como as mais importantes e as mais verdadeiras.

E então, desde que você nasceu, eu tenho me tornado uma pessoa diferente. E então, desde que você nasceu, seguimos aprendendo um com o outro, um do outro, um para o outro.

Sabe, que antes de você, existia em mim um sentimento que, pra ser sincera, eu nem sabia ser meu. Era um amontoado de coisas, um emaranhado de sensações, que estava quieto e parado feito vulcão inativo.

E aí você nasceu, e tudo isso continuou em silêncio. E você estava em meus braços, e tudo isso continuou em silêncio. Mas um dia, não sei precisar quando, tudo veio à tona num rompante, com força e quentura. De maneira que nem se quisesse, poderia segurar. E tudo tomou conta de mim. E se esparramou, e nos aqueceu, e nos abraçou. Amor de mãe? Não sei, não vamos nomear o que sem nome parece tão maior.

Apesar de meu, tudo o que sinto é todo seu. Um não existe sem o outro. E sendo assim, eu te agradeço por, em tão pouco tempo de vida, ter trazido o melhor de mim.

A escrita é breve, mas carregada de sentimento. Um sentimento que feito vulcão ativo, não se pode prever sua força, nem suas consequências. Mas pela primeira vez em muitos anos, eu não tenho medo nem da força, nem das consequências de tal sentimento. Porque é dos mais sinceros que já experimentei, e porque é só para você.

Com carinho,

MamãI (como você mesmo diz)

Anúncios

3 comentários em “Carta ao Tom # 3 – Do sentimento sem volta”

  1. Minha amiga que declaração de amor! Como a gente muda depois que tem filhos, um sentimento inexplicável… um coração que palpita a todo vapor. Adoro o jeito que escreve! Parabéns!
    Beijos

    Curtir

  2. Que post mais sincero, senti a força desse sentimento daqui, talvez por sentir o mesmo… essa quentura, esse amor que de tão forte não temos como explicar.
    Beijo grande em vocês!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s