Sem categoria

Cabem três vidas inteiras, e até mais

Já tem um tempo que venho pensando na quantidade de vidas que vivemos em uma vida. Pode ser por conta da chegada dos quarenta anos completados no último dia 9 deste mês, pode ser por conta da maturidade, pode ser também o fato de que os anos passam, e um dia, ao olharmos para trás a gente percebe o tanto de coisa que já fez, o tanto de lugares que já passamos, em quantos endereços moramos, quantas pessoas já cruzamos, convivemos, nos despedimos…

Fato é, que ao revisitar fotos antigas na companhia dos meus filhos, as crianças fizeram milhões de perguntas: é você aqui? Que país é esse? Vocês já foram para x, y ou z? Você comeu isso mesmo? E foi gostoso reviver esse passado com eles, (re)lembrar o tanto que vivi/vivemos antes da maternidade, e pensar que em uma vida só, parece que vivi/vivemos dez vidas inteiras.

E tem sido um exercício (que começou antes das fotos)bastante honesto, proveitoso, importante, engraçado e gratificante pensar na quantidade de vidas que pude/pudemos viver até agora. Foram muitos endereços, foram muitas andanças, alguns países… foi muito mais crescimento, muita descoberta, muito movimento de dentro pra fora e de fora pra dentro. Teve muito choro também, teve muito perrengue nesse rolê, mas teve sempre gente disposta a caminhar junto, teve abraço, teve amigos de copo e amigos que estão comigo/conosco até hoje, inclusive na hora do copo. Tudo teve sua devida importância no seu devido tempo/lugar.

De tudo fica um pouco, disse Drummond. “Se de tudo fica um pouco, mas por que não ficaria um pouco de mim? No trem que leva ao norte, no barco, nós anúncios de jornal, um pouco de mim em Londres, um pouco de mim algures?”… sim, um pouco das vidas que vivi deixei por onde passei. Mas um pouco de vida trouxe comigo de todos os lugares em que passei/morei. Percebe Como é bonito isso? Percebe a importância disso?

Hoje posso percebê-lo. E não exagero quando digo que minhas muitas vidas são meu maior patrimônio. Minhas vidas em uma só vida foram/são recurso inclusive, para meu maternar.

Só o que desejo é poder viver muitas mais vidas ainda nesta Vida. E viajar! Caramba, que saudades de viajar!

Eu, many moons ago, em Barcelona

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.