a vida é mais, malvados dentes, mãe zen, mães não são de ferro, tempo escasso

Fora de serviço

Só para avisar que nosso sumiço se deve à uma rinofaringite do Tomás, aos molares que despontam, uma casa que mais parece o cenário do Armagedon, um marido viajando absurdos e que, quando em casa, é só o pó da rabióla, e uma mãe muito, muito cansada.

Muito tempo longe da internet, muito tempo longe dos blogs amigos, mas como mãe e ser humano que sou, sei que é só uma fase. Apenas uma fase onde tudo parece demorar em ser tão ruim.

Gostei demais dos comentários sobre a trilogia do meu relato de parto. Prometo responder os que ficaram sem respostas.

Beijos e não nos esqueçam!

A imagem vem do blog mãe digital.

malvados dentes

Santa homeopatia!

A primeira grande mancada da Mãe Natureza, é permitir que recém-nascidos tenham cólica. A segunda, é fazer do nascer dos dentes um período muito chato.

Para as cólicas, recorremos à homeopatia, pois não havia NADA que aliviasse a dor do Tom, nada que o acalmasse. Mas a santa Chamomilla nos livrou da loucura (quem já viu/teve um bebê chorando de cólica sabe do que estou falando). Para os dentes, recorremos novamente à ela. E mais uma vez, ela, a Chamomilla – salve, salve, aleluia – tem nos socorrido.

Tomás, tadinho, anda irritado, babando litros, mordendo tudo o que vê pela frente. Daí que para amenizar a dor, o incômodo, a coceira nas gengivas do filhote, compramos um mordedor todo transado, colorido, diferentão, livre de Bisphenol A, e portanto, o mais caro da prateleira.

Mas o que ele mais gosta mesmo de morder por longos minutos a fio, e até fecha os olhinhos de tanto alívio, é a ponta do conta-gotas do frasco do remédio de homeopatia (nossa, a descrição ficou gigante). Sabe aquela parte de borrachinha que a gente aperta? Então, ela mesmo.

Assim ó:

Em tempo, a homeopatia propriamente dita está ajudando horrores. Santo Dr. Nilo!